Youth & AdvertisingStereotypes, prejudices, invisibilization and adultcentrism

Date
Journal Title
Journal ISSN
Volume Title
Publisher
Politécnico Colombiano Jaime Isaza Cadavid
Date
2017-01-18
Abstract
Description
The aim of this article is to contrast the category of youth, known as traditionally instituted social imaginary, with the perspective of a group of university students, from their statements about a group of advertising commercials. Results show that social imaginary has generated stereotypes, has tried to homogenize and invisibilize to youth people and that advertising had contributed to this situation through its statement. But also, findings evident certain resistance of the participants to this reduction and show their propositive role, distantly to the conception of passive and alienated consumer that the traditional critique has restored. Nevertheless, it does not stop considered to be the possibility that such a role should be promoted also by the statement itself as part of the advertising contemporary trends. Inside the findings we find that adultcentrism imaginary of youth people as stage with characteristics that contrast with the adulthood answers to a simplification that does not contemplate the possibility that parents and children could share as “peer”, that is to say, as speakers who are validated mutually. This affirmation appears also as an affective need of friendship and dialog.
El objetivo del presente artículo es contrastar la categoría de juventud, entendida como imaginario social instituido tradicionalmente, con la perspectiva de un grupo de estudiantes universitarios, a partir de sus enunciados sobre un conjunto de comerciales publicitarios. Los resultados muestran que el imaginario social ha generado estereotipos, ha intentado homogeneizar e invisibilizar a los jóvenes, a lo que ha contribuido, de manera importante, la publicidad a través de su relato, pero también se hace evidente cierta resistencia de los participantes a esta reducción y visibilizan su papel propositivo, lejano a la concepción de consumidor pasivo y alienado que la crítica tradicional ha instaurado. No obstante, no deja de considerarse que tal papel sea también promovido por el relato mismo como parte de las tendencias publicitarias contemporáneas. Se encuentra además que el imaginario adultocentrista de la juventud como etapa con características que contrastan con la adultez, responde a una simplificación que no contempla la posibilidad de que padres e hijos puedan compartir como “pares”, es decir, como interlocutores que se validan mutuamente. Este señalamiento se muestra también como un requerimiento afectivo de amistad y de diálogo. DOI: https://doi.org/10.33571/revistaluciernaga.v9n17a2
O objetivo do artigo presente é contrastar a categoria da mocidade, entendida como imaginário social, com a perspectiva dum grupo de estudantes universitários a partir de seus enunciados sobre um conjunto de propaganda comercial. Mas também se torna certa resistência evidente dos participantes a esta redução e visibilizan o seu papel propositivo, distante à concepção de consumidor passivo e alienado que a crítica tradicional estabeleceu. Não obstante, não deixa de ser considerado a possibilidade que tal papel seja também promovido pelo mesmo relato, como parte das tendências propagandísticas contemporâneas. Dentro das descobertas está também o imaginário adultocentrista da mocidade como fase com características que contrastam com a maioridade responde a uma simplificação que não contempla a possibilidade de que os pais e as crianças podam compartilhar como “casais”, quer dizer, como oradores que são validados mutuamente. Esta sinalização também é mostrada como a exigência afetiva de amizade e de diálogo.
Keywords
youth imaginary, advertising statement, youth, stereotypes, homogenization, invisibilization, imaginario de juventud, relato publicitario, juventud, estereotipos, homogenización, invisibilización, imaginário de mocidade, relato publicitário, mocidade, estereótipos, homogenização, invisibilização
Citation